5 de abr de 2014

A fragilidade no paciente idoso será discutida em mesa-redonda na Jornada Paranaense


A fragilidade no paciente idoso, seja ela emocional, social ou física, deve ser tratada com o máximo de atenção, afinal todas interferem na qualidade de vida do paciente. 

Com a participação de médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, ao longo de duas mesas-redondas durante o segundo dia da Jornada, serão debatidos os conceitos, quadro clínico e estratégias de prevenção e tratamento de cada um desses aspectos. O trabalho não se resume a apenas um profissional, sendo necessária a participação de uma equipe multidisciplinar para que o tratamento seja eficaz.


"A fragilidade é conceituada como uma síndrome clínica, que pode ser identificada por várias características. Entretanto, ainda não há um consenso acerca da sua definição, por isto da relevância da discussão do tema. A fragilidade tem alta prevalência na população idosa, que aumenta com a idade e leva a riscos de adversidades na saúde, como a institucionalização, quedas, hospitalização e mortalidade", explica a fisioterapeuta Cristina Ribeiro, que ministrará a palestra "Estratégias de prevenção e tratamento" no sábado, dia 5, às 8h.

Nenhum comentário: