3 de abr de 2016

"Instrumentos de Avaliação Fisio-Funcionais para Idosos com a Doença de Alzheimer" apresentado na XXVI Jornada Paranaense de Geriatria e Gerontologia

Nos dias 18 e 19 de março ocorreu em Curitiba a XXVI Jornada Paranaense de Geriatria e Gerontologia, o maior evento da área, no Paraná.

Foram dois dias de muitas informações importantes, com palestras, mesas de debate e apresentações de trabalhos científicos na forma de pôster.

Dentre eles foi apresentado o trabalho intitulado "Instrumentos de Avaliação Fisio-Funcionais para Idosos com a Doença de Alzheimer" realizado pelo aluno Lucas Terra, do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário UDC-Anglo, sob a orientação da profª Cristina Ribeiro.

Segue abaixo o resumo do trabalho:

Introdução: A Doença de Alzheimer (DA) é uma doença neurodegenerativa, que até o momento não tem cura, entretanto existem intervenções efetivas que podem ser utilizadas, mas antes o profissional deve realizar uma boa avaliação. 

Objetivo: Realizar um levantamento bibliográfico sobre os instrumentos de avaliação fisio-funcionais mais utilizadas em idosos com DA. 

Métodos: Os artigos científicos foram pesquisados nas bases de dados Bireme, Scielo, Google Acadêmico, Medline e Lilacs, de 2010 a 2015. 

Resultados: Foram selecionados os artigos publicados na língua portuguesa, que apresentaram idosos com idade ≥ 60 anos, com diagnóstico de DA e submetidos a uma avaliação fisio-funcional. Do total de 123 artigos pesquisados foram excluídos 115, restando 8 artigos selecionados. Dentre estes 8 artigos observou-se que 2 utilizaram a Escala de BERG; 2 empregaram o Teste Timed Up and Go; o Mini Exame do Estado Mental (MEEM) foi utilizado em 6 artigos; Questionário Baecke Modificado para Idoso empregado em 1 artigo; 1 artigo usou o Índice de Katz; Índice de Lawton-Brody foi empregado em 1 artigo; 2 utilizaram o Índice de Pfeffer; o Activities of Daily Living Questionnaire empregado em 1 artigo; o Southampton Assessment of Mobility usado em 2 artigos; Disability assessment for dementia utilizado em 1 artigo; Teste de Agilidade e Equilíbrio Dinâmico empregado em 1 artigo; Questionário Internacional de Atividade Física empregado em 1 artigo; Escala de Qualidade de Vida utilizado em 1 artigo; Escala de Depressão Geriátrica usada em 1 artigo; Exame Cognitivo de Cambridge empregado em 1 artigo; Inventário Neuropsiquiátrico usado em 1 artigo e Escala de Estadiamento da Demência empregada em 1 artigo. 

Conclusão: Foi possível identificar o MEEM como instrumento de avaliação fisio-funcional mais empregado, no entanto, o emprego dos demais instrumentos, torna-se necessário na identificação mais precisa do grau de comprometimento do idoso e na elaboração do plano terapêutico.

Palavras-chaves: Doença de Alzheimer; demência; idosos; avaliação

Nenhum comentário: