1 de out de 2010

Estudo do envelhecimento na UNIFESP

Diante da última postagem recebi uma contribuição importante e por isto resolvi transformá-la em uma nova postagem. Agradeço as informações fornecidas pela colega Renata Cereda, da UNIFESP.

Comentário da colega,

"Gostaria de aproveitar o espaço para esclarecer que, apesar de não haver um programa específico em Gerontologia, essa área de conhecimento é desenvolvida dentro de alguns cursos de pós-graduação Stricto-Sensu na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Por exemplo, na pós em Saúde Coletiva, dentro da área de concentração em Epidemiologia, existe uma linha de pesquisa em Epidemiologia e Biologia do Envelhecimento (http://www.unifesp.br/dmedprev/pg/areas.htm). O mesmo se aplica a outros cursos na mesma instituição, basta o candidato ter interesse em conhecer um pouco mais a fundo os programas.

Considerando o caráter interdisciplinar da Gerontologia, é possível estudar o fenômeno do envelhecimento sob vários prismas em diferentes programas. Cabe ao aluno (preferencialmente já especialista) propor ao futuro orientador um projeto que claramente estabeleça a interlocução da área de formação conferida pela pós com a Gerontologia. Essa é uma forma de "contornarmos" o exíguo número de cursos nessa área e produzirmos conhecimentos novos em Gerontologia.

Vale reforçar ao aspirante ao Stricto Sensu que, já sendo especialista, ele terá mais clareza acerca do pilar da Gerontologia em que mais se identifica (Biologia, Sociologia e Psicologia) e poderá elaborar um projeto dentro da linguagem a que mais se identificar. A Gerontologia ainda é pobre em teorias gerais que busquem a unificação dos métodos derivadas das áreas dos 3 pilares fundamentais, justamente pelo seu caráter interdisciplinar. É por essa razão que é possível estudar o envelhecimento em diversos programas".

Renata Cereda
http://www.lesf.org.br/

Nenhum comentário: