19 de abr de 2016

Pesquisa sobre "Nível da Força de Preensão Manual em Idosos de uma ILPI em Foz do Iguaçu" na XXVI Jornada Paranaense de Geriatria e Gerontologia

Esta pesquisa intitulada "Nível da Força de Preensão Manual em Idosos de uma ILPI em Foz do Iguaçu" foi apresentada na XXVI Jornada Paranaense de Geriatria e Gerontologia que ocorreu nos dias 18 e 19 de março em Curitiba.

Autores da pesquisa: Reis, PF 2-3; Silva, CCR.1-2-3; Farias, NC 2-3; Moschen, GM 3; Viana, DA.1; Peres, LW 2; Dias, FMV 4.

1-Programa de Pós-Graduação em Gerontologia-FCM-UNICAMP. 2-Centro Universitário Dinâmica das Cataratas-UDC.3-Centro de Ensino Superior de Foz do Iguaçu-CESUFOZ. 4-Departamento de Educação Integrada em Saúde-Universidade Federal do Espírito Santo-UFES

Resumo:

Introdução: o principal fator de perda de força e potência em idosos está associado à sarcopenia progressiva nas unidades motoras, afetando diretamente a funcionalidade nas atividades de vida diária (AVD). 

Objetivo: foi verificar o nível da força de preensão manual. 

Métodos: A amostra teve 17 idosos, sendo 13 do sexo masculino e 4 do sexo feminino. A ferramenta utilizada para verificar a força de pressão manual foi um dinamômetro manual de marca JAMAR®, com o idoso sentado em uma cadeira, com 90º de flexão de cotovelo sendo a mão dominante. Cada participante realizou três séries de cinco segundos de contração isométrica máxima, com intervalos de trinta segundos entre as mesmas, respeitando os procedimentos recomendados pela Sociedade Americana de Terapeutas da Mão, realizada na mão dominante. A estatística utilizada foi descritiva quantitativa através do programa Bioestatic 5.0. 

Resultados: 82% dos indivíduos pesquisados estavam com níveis de força de preensão manual fraco. Neste sentido, as atividades de vida diária poderão ser prejudicadas, visto que, a utilização da mão é fundamental na qualidade de vida do idoso. Esta pesquisa demonstrou a necessidade do trabalho de força dos membros superiores (MMSS) na população pesquisada. 

Conclusão: conclui-se que o nível de força de preensão manual na maioria dos idosos pesquisados está no nível fraco, sendo necessários trabalhos de força dos membros superiores, visto que esta debilidade comprometerá as atividades de vida diária (AVD). Neste caso, foi um indicador importante da necessidade de inclusão de atividades físicas e exercícios de força nesta população.

Palavras Chave: idosos; força de preensão manual; atividades de vida diária

Referências bibliográficas:

-FIGUEIREDO, L. M. et al. Teste de força de preensão utilizando o dinamômetro jamar. Acta. Fisiatr. v. 14, n.2, p. 104-110, 2007.

-MALAGUTTI, W; BERGO, A.M.A. Abordagem Interdisciplinar do Idoso. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2010

-MOREIRA, D. et al. Abordagem sobre preensão palmar utilizando o dinamômetro JAMAR® : uma revisão de literatura. R. Bras. Ci. e Mov. Brasília v. 11 n. 2 p. 95-99, 2003. LEITE, S. N.;  

-NETTO,M. P. Gerontologia-A velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Editora Atheneu., 2002.
                  
-RIBEIRO, C.C. As 8 Premissas da Fisioterapia Gerontológica: a atuação fisioterapêutica sob a ótima da Gerontologia. São Paulo: Andrei, 2012.

-SANTOS, M. C; ANDRADE. M. C. Incidência de Quedas Relacionada ao Fatores de Riscos em Idosos Institucionalizados. Rev Saúde Pública, v.29, p.57 68, jan/jun. 2005.

-SILVA, J.V. Saúde do Idoso :Processo de Envelhecimento sob Múltiplos Aspectos. 1ª ed. São Paulo: Iátria, 2009.


Nenhum comentário: