15 de mai de 2016

Trabalho sobre "Instrumentos funcionais empregados na avaliação de idosos com a Doença de Parkinson" apresentado na Unicamp

O trabalho intitulado "Instrumentos funcionais empregados na avaliação de idosos com a Doença de Parkinson" foi apresentado no IX Seminário de Pesquisa em Gerontologia e Geriatria do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia da Unicamp.

O evento ocorreu de 10 a 12 de maio na cidade de Campinas (São Paulo) e contou com a presença de palestrantes renomados na área.

Seguem os dados do trabalho. 

Título: Instrumentos funcionais empregados na avaliação de idosos com a Doença de Parkinson

AutoresCristina Cristovão Ribeiro1,2,   Erika Valeska da Costa Alves1,   Dayane Aparecida Viana1,3,  Daniel Eduardo da Cunha Leme1, Lucas Terra Nunes2, Bárbara Ribas2.

Instituições1. Programa de Pós-Graduação em Gerontologia - FCM - UNICAMP   2. Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC   3. Faculdade de
Talentos Humanos - FACTHUS

Objetivo do estudo: Realizar levantamento bibliográfico dos instrumentos funcionais mais utilizados na avaliação do idoso com Doença de Parkinson (DP).

Materiais e Método: Busca nas bases de dados Bireme, Scielo, Google Acadêmico, Medline e Lilacs, entre 2002 e 2015.

Resultados: Artigos publicados na língua portuguesa, com amostra composta por idosos com idade ≥ 60 anos, com diagnóstico de DP e submetidos a alguma avaliação de funcionalidade. Dos 125 artigos encontrados restaram 22 artigos. Dentre estes, 21 empregaram a Escala de Hoehn e Yahr (HY); 10 utilizaram a Escala Unificada de Avaliação da Doença de Parkinson (UPDRS); 8 o Mini Exame do Estado Mental (MEEM); 5 o Questionário de Qualidade de Vida na Doença de Parkinson (PDQ-39); 4 a Escala de equilíbrio funcional de Berg (EEFB) e o teste Timed Up and Go (TUG); 3 o Questionário de Avaliação de Qualidade de Vida Short Form-36 (SF-36); 2 o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), a Escala Visual Analógica (EVA), a Escala de percepção de esforço de Borg, o Balance Evaluation Systems Test (BESTest), o Mini Balance Evaluation Systems Test (MiniBESTest), o Teste de caminhada de 6 minutos (TC6), o Perfil de Atividade Humana (PAH), e testes de coordenação motora, força, flexibilidade, agilidade e equilíbrio dinâmico (AGIL); teste de resistência aeróbia e habilidade de andar (RAG), o Questionário Baecke Modificado para Idosos (QBMI) e o Questionário de dor McGill (MPQ) foram empregados apenas em 1 artigo.

Considerações Finais: A Escala de Hoehn e Yahr foi empregada em 95% dos artigos, destacando-se por sua importância para uma avaliação rápida e prática do estado geral de idosos com DP, não subtraindo a importância clínica dos demais instrumentos.

Referências Bibliográficas: 

-Barbieri FA, Batistela RA, Rinaldi NM, Teixeira-Arroyo C, Stella F, Gobbi LTB. Efeito do exercício físico na amplitude de movimento articular dos membros inferiores de indivíduos com doença de Parkinson. Fisioter Pesqui. 2014; 21(2):167-173.
-Bertoldi FC, Silva JAMG, Faganello-Navega FR. Influência do fortalecimento muscular no equilíbrio e qualidade de vida em indivíduos com doença de Parkinson. Fisioter Pesqui. 2013; 20(2):117-122.
-Bonjorni LA, Jamami M, Di Lorenzo VAP, Pessoa BV. Influência da doença de Parkinson em capacidade física, função pulmonar e índice de massa magra corporal. Fisioter mov. 2012; 25(4):727-736.
-Borges ED, Silva MS, Bottaro M, Lima RM, Allam N, Oliveira RJ. Força muscular isocinética dos extensores do joelho em indivíduos com doença de Parkinson. Fisioter mov. 2013; 26(4):803-811.
-Christofoletti G, Freitas RT, Cândido ER, Cardoso CS. Eficácia de tratamento fisioterapêutico no equilíbrio estático e dinâmico de pacientes com doença de Parkinson. Fisioter Pesqui. 2010; 17(3):259-263.
-Coriolano MGWS, Balbino JMS, Silva BRV, Cabral ED, Asano AG, Lins OG, et al. Caracterização da doe em pacientes com doença de Parkinson. Rev dor. 2014; 15(2):78-82.
-Diniz C, Lima LO, Cardoso F, Teixeira-Salmela L, Rodrigues-de-Paula F. Redução do limite de estabilidade direção-específica em indivíduos leve a moderadamente afetados pela doença de Parkinson. Fisioter Pesqui. 2011; 18(4):306-310.
-Filippin NT, Martins JS, Dela Libera LB, Halberstadt BF, Severo AR. Qualidade de vida de sujeitos com doença de Parkinson e seus cuidadores. Fisioter mov. 2014; 27(1):57-66.
-Lima LO, Rodrigues-de-Paula F. Taxa de recrutamento, viabilidade e segurança de um treinamento de potência muscular em indivíduos com doença de Parkinson: um estudo prova de conceito. Braz J Phys Ther. 2013; 17(1):49-56.
-Maia AC, Rodrigues-de-Paula F, Magalhães LC, Teixeira RLL. Adaptação transcultural e análise das propriedades psicométricas do Balance Evaluation Systems Test e do MiniBESTest em idosos e indivíduos com doença de Parkinson: aplicação do modelo Rasch. Braz J Phys Ther. 2013; 17(3):195-217.
-Pires S, Festas MJ, Soares T, Amorim H, Santoalha J, Henrique A, et al. Pistas auditivas musicais na fisioterapia em grupo de doentes com Parkinson. Arq Med. 2014; 28(6):162-166.
-Rodrigues-de-Paula F, Lima LO, Teixeira-Salmela LF, Cardoso F. Exercício aeróbio e fortalecimento muscular melhoram o desempenho funcional da doença de Parkinson. Fisioter mov. 2011; 24(3):379-388.

Nenhum comentário: